DEBATES DE PRAÇAS

Esse espaço é dedicado a todos que lutam no dia-dia para manter com o sacrifícil da própria vida essa nação, mesmo não reconhecidos pelos esforços concedidos e da marcha em busca dos direitos que lhes são negados.

Parnaíba PI

10.5.09

UNIFICAÇÃO DAS POLÍCIAS

De todas as propostas na área de segurança pública no Brasil a mais complicada, sem dúvida, é a chamada unificação das polícias militar e civil. A unificação das polícias pode dar certo, do ponto de vista físico, mas o resultado esperado desse procedimento institucional é uma fantasia.

A razão são as mais diversas, a começar pela origem das duas instituições policiais. Mesmo que tenham operacionalmente os mesmos objetivos, Polícia Militar e Civil são de natureza diferente, quanto à representação social que exercem e funcionamento interno.

Como unificar duas instituições sendo uma militar e a outra civil? Uma segue uma doutrina regimental militar e a outra a democrática. Isso sem considerar outros dispares, que faz essas duas instituições muito diferente uma da outra.

Os idealizadores desse projeto são políticos, não conhecem as verdadeiras realidades tradicionais das duas corporações, os especialistas não sabem do dia-dia da vida militar e os militares consultados a respeito são os mesmos que ocupam cargos de confiança no governo e só falam politicamente sobre o assunto. Portanto, quanto à unificação das policias, não há opiniões ou ponto de vista verdadeiro, pelo menos demonstra o que aparece na mídia e consta em documentos como base de possíveis projetos na área de segurança pública.

O mais grave é que os governadores não estão preocupados em fazer a unificação com integração, único jeito de funcionar pelo menos em parte, mas desfiguraria aos poucos as características istitucionais da Policia Militar, o que faz ter muita resistência por parte dos oficiais superiores.

Unificação com integração seria a unificação física das duas instituições e a igualdade de direito dos policiais militares e civis, principalmente a questão disciplinar e salarial. Não há como fazer uma verdadeira unificação sem alterar procedimentos estatutários e operacionais.

É importante citar, que a policia Civil e Militar sempre agiram em conjunto ao ponto da população, muitas vezes confundir quem é militar ou civil. É sabido que o propósito da sonhada unificação, para os políticos, é sincronizar o máximo os procedimentos operacionais das duas polícias como se fosse uma. Ora, senhores, duas instituições são duas instituições; mesmo que estejam juntas em todas as operações de segurança, sempre vai haver entre os seus membros, de menor ou maior graduação, a sensação de estar trabalhando com um outro.

A unificação das polícias Militares e Civis só tem relevância, considerando os resultados, se tiver caráter de transição para a formação de uma única polícia. Mas percebe-se que em havendo previamente procedimento transitório para esse processo, as dificuldades serão maiores pela resistência de alguns teóricos e dos oficiais superiores sobre a questão. Estes sustentam que deviria ser preservado as tradições das Policias Militares.

Pelo visto precisa-se de muita vontade política para levar adiante um projeto desse porte. Enquanto não acontece a verdadeira unificação com integração das duas policias apenas medidas tímidas de unificação física se arrastam. Os governos acreditam que somente construindo prédios e colocando as duas instituições para trabalharem juntas é suficiente. E os oficiais superiores apóiam, porque não querem modificações na Polícia Militar, não querem perder privilégios. “AVANTEBRASIL”.



“FÉ E LUTA”

3 comentários:

Anônimo disse...

Polícia Militar - 200 anos - DEPUTADO FLÁVIO BOLSONARO

PM em festa, tropa em luto

Em seu bicentenário, vive a gloriosa Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro um grave momento, ante a falta de investimentos do Estado no que há de mais importante em segurança pública: o policial.

Passa o Rio de Janeiro triste quadro de violência, sendo injustamente atribuída à PMERJ a responsabilidade pela inépcia de todos os instrumentos de prevenção ao crime.

Revoltada, perde a sociedade o respeito e a confiança na Polícia. Abandonados, mal remunerados, aterrorizados por um regulamento disciplinar obsoleto e arbitrário e, ainda, submetidos a jornadas de trabalho desumanas, insalubres e arriscadas, sentem os integrantes da Corporação a morte de seus ideais e de muitos colegas de farda.

A desmotivação é visível nos rostos dos policiais em qualquer viatura posicionada nas ruas. Sumariamente excluídos caso ocorram imprevistos polêmicos na ação policial, ficam temerosos por cumprirem seus deveres. Suas carreiras militares, de um dia para o outro, podem ser encerradas sem que sejam respeitados os princípios constitucionais da presunção da inocência, da ampla defesa e do contraditório. O PM hoje não tem segurança jurídica para trabalhar.

O resultado é que muitos policiais estão esperando o tempo para passar à inatividade ou fazendo concursos para carreiras menos arriscadas e melhor remuneradas.

A solução está nas mãos do Governador - que deveria estabelecer, com urgência, um conjunto de ações eficazes para a reconquista do espaço perdido para o crime e para a valorização e motivação da tropa, para que a PMERJ e seu efetivo comemorem outros séculos de glórias. Mantido o atual abandono, acabará por tornar-se, tão somente, um caso de polícia.



* Flávio Bolsonaro é deputado estadual e integrante da Comissão de Segurança da Alerj

http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/posts/2009/05/14/pm-em-festa-tropa-em-luto-186119.asp

Anônimo disse...

A GRANDE TEIA QUE SE FORMOU NA INTERNET!

CÓDIGO 800 - QUEM É SABE -CONFRATERNIZAÇÃO DA FAMÍLIA POLICIAL MILITAR.


Hoje, atendendo convite do amigo, Sargento de Polícia Ricardo Garcia, compareci ao Clube Marajoara, em Niterói, onde foi realizado um churrasco de confraternização da família Policial Militar.
Em um ambiente muito agradável e fraterno, conversamos sobre os problemas da nossa amada Polícia Militar, estreitando os laços de camaradagem que devem nortear a vida castrense.
O evento foi promovido pelo grupo “CÓDIGO 800 – QUEM É SABE”, integrado por Praças da Polícia Militar que tem por objetivo proporcionar dignidade a todos integrantes da bicentenária Instituição Militar.
O Sargento de Polícia Ricardo Garcia apresentou uma série de sugestões, a maioria delas direcionada ao apoio aos Militares de Polícia e aos seus familiares, porém, também foi abordada a necessidade urgente de mudanças no Regulamento Disciplinar, bem como, no Estatuto do Policial Militar.
Eu fiquei muito feliz por participar do encontro, sobretudo, por ter presenciado um grupo de Praças motivado para promover mudanças na Corporação, agindo dentro da legalidade e no exercício dos seus direitos constitucionais.
Tenho certeza que o grupo irá prosperar e alcançar vários dos objetivos propostos, pois, “JUNTOS SOMOS FORTES!”
A senhora Márcia do Movimento das Mulheres de Atitudes Independentes (MMAI), também participou do encontro, demonstrando a sua felicidade pelo lançamento, na próxima terça-feira, do tablóide do MMAI.
Conheci a senhora Cláudia, uma das integrantes de um grupo composto por mais de 30 (trinta) viúvas de Policiais Militares, grupo que tem buscado através da união, diminuir a dor e as conseqüências da perda dos seus maridos, os seus heróis, Policiais Militares.
Essa iniciativa merece o apoio de todos nós, inclusive, de toda a sociedade fluminense.
O tema política foi muito discutido, principalmente com relação a membros do legislativo fluminense, que quando candidatos prometeram mundos e fundos aos Policiais Militares e que, depois de eleitos, nada fizeram, revelando-se verdadeiros falastrões.
A idéia do grupo é apoiar um Praça da Polícia Militar para concorrer à Deputado Estadual e apoiar outro Praça para concorrer à Deputado Federal.
Eles tem certeza que Policiais Militares conseguem eleger Policiais Militares.
Eu assino embaixo, não tenho qualquer dúvida de que a UNIÃO irá proporcionar essas vitórias, todavia, precisamos fechar em um pequeno grupo de candidatos, o que não pode acontecer novamente é a existência de centenas de Policiais Militares se candidatando, o que acaba por não eleger ninguém.
Foi um encontro excelente e que ocorrerá outras vezes, com as bençãos de Deus.


http://celprpaul.blogspot.com/2009/05/codigo-800-quem-e-sabe-confraternizacao.html

Anônimo disse...

POLICIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO


Comunicado a todos os praças do Rio de Janeiro

Chega de reclamar e ser esculachado.
Você que esperou um pronunciamento do sr. Governador no dia 13 de maio, quanto ao aumento salarial fim do rancho e outros benefícios que nos foram prometidos e não cumpridos, chegou a hora de tomarmos uma atitude.
Vamos nos unir, estamos convocando todos os praças da pmerj a fazerem uma operação tartaruga por 24hs. no dia (13 de junho) a partir das 06:00hs da manhã
Não atenderemos ocorrências que não forem enviadas para nós. E sempre que pegarmos alguma vamos demorar no mínimo 3 horas em cada uma por menor que seja, até mesmo nas que forem de código 912. vamos com isso criar um acumulo monstro de ocorrências, aguardando uma vtr. disponivel .
Divulgue no anonimato esse comunicado tire Xerox, envie por email, Espalhe pelo batalhão onde vc trabalha , e faça chegar ao conhecimento da imprensa, para que saibam que não estamos nada satisfeitos com a sacanagem que foi feita com a gente no dia 13/05/2009 quando ficamos esperando algo de bom e nada foi dito pelo governador Pinóquio.
Vamos mostrar que temos força quando unidos, e que o Rio depende de nós.



Divulgue no anonimato esse comunicado tire Xerox. Espalhe pelo batalhão onde vc trabalha , e faça chegar ao conhecimento da imprensa essa CONVOCAÇÃO!